quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Filosofia numa hora dessas?

Em julho de 1988, durante o Seminário “Brasil Século 21”, realizado na Unicamp, o sociólogo francês Alain Touraine lançou uma provocação: “as filosofias estão em crise: amigos, regozijemo-nos”. A referência não era com relação à Filosofia como disciplina, mas aos grandes modelos de pensamento. A sua crise, ou o fim das utopias, permitia ao indivíduo “produzir a sua própria existência”. Mas aí já é tarefa para a velha e boa Filosofia.

A filosofia clínica estabeleceu-se, propondo-se como uma terapia e disputando espaço com a psicanálise. A filosofia clínica auxilia a pessoa a lidar com suas questões existenciais. Uma visão mais abrangente do assunto pode ser consultada em www.filosofiaclinica.com.br. Epicuro de Samos (341 a.c. – 270 a.c.) já prescrevia: “Assim como realmente a medicina em nada beneficia, se não liberta dos males do corpo, também sucede com a filosofia, se não liberta das paixões da alma”.

E a Filosofia ganhou as bancas de jornais, aqui e alhures. No Brasil , a revista “Filosofia”, na Europa a “Philosophie Magazine”, publicada em Paris. A Philosophie possui uma seção equivalente a qualquer outra revista de entretenimento: o correio dos leitores, que se propõe a responder questões como “você está angustiado por uma interrogação metafísica, um dilema moral, uma dúvida pessoal?” Na carta selecionada para o número de setembro 2010, uma leitora entrou de sola: “por que os filósofos são incapazes de viver de acordo com suas teorias?”

Uma formação acadêmica supimpa

O St. John’s College, dos Estados Unidos, oferece, desde 1937, uma formação de nível superior baseada em obras clássicas. O primeiro ano é dedicado à discussão dos autores gregos; o segundo ano trata de livros produzidos no período romano, medieval e na Renascença; o terceiro ano discute livros produzidos nos séculos 17 e 18 e o quarto ano aborda a produção dos séculos 19 e 20.

No seu site um banner informa: “one college / two campuses”:  um único estabelecimento, dois campi. Um fica em Santa Fé, Novo México, e o outro em Annapolis, Maryland. O programa acadêmico, evidentemente, é o mesmo em ambos. Abaixo uma pequena amostra das obras que são discutidas ao longo do curso:


FRESHMAN YEAR
• HOMER: Iliad, Odyssey
• SOPHOCLES: Oedipus Rex, Oedipus at Colonus, Antigone, Philoctetes, Ajax
• THUCYDIDES: Peloponnesian War
• EURIPIDES: Hippolytus, Bacchae
• HERODOTUS: Histories
• ARISTOPHANES: Clouds
• PLATO: Meno, Gorgias, Republic, Apology, Crito, Phaedo, Symposium, Parmenides, Theaetetus, Sophist, Timaeus, Phaedrus
• ARISTOTLE: Poetics, Physics, Metaphysics, Nicomachean Ethics, On Generation and Corruption, Politics, Parts of Animals, Generation of Animals
• EUCLID: Elements

SOPHOMORE YEAR
• ARISTOTLE: De Anima, On Interpretation, Prior Analytics, Categories
• APOLLONIUS: Conics
• PLUTARCH: "Caesar," "Cato the Younger," "Antony," "Brutus"
• EPICTETUS: Discourses, Manual
• TACITUS: Annals
• PTOLEMY: Almagest

JUNIOR YEAR
• CERVANTES: Don Quixote
• GALILEO: Two New Sciences
• HOBBES: Leviathan
• DESCARTES: Meditations, Rules for the Direction of the Mind
• PASCAL: Pensees
• SPINOZA: Theological-Political Treatise
• LOCKE: Second Treatise of Government

SENIOR YEAR
• GOETHE: Faust
• DARWIN: Origin of Species
• HEGEL: Phenomenology of Mind, "Logic" (from the Encyclopedia)
• TOCQUEVILLE: Democracy in America
• KIERKEGAARD: Philosophical Fragments, Fear and Trembling
• NIETZSCHE: Beyond Good and Evil
• FREUD: Introductory Lectures on Psychoanalysis
• HUSSERL: Crisis of the European Sciences
• HEIDEGGER: Basic Writings
• EINSTEIN: Selected papers
• CONRAD: Heart of Darkness

O programa acadêmico completo do St. John’s College pode ser consultado em: http://www.stjohnscollege.edu/academic/readlist.shtml.